Psicoterapia

Psicoterapia



Você já se sentiu muito sobrecarregado para lidar com seus problemas diários? Se a resposta for sim, você não está sozinho. A Psicoterapia é um processo focado em ajudar um indivíduo, casais ou grupo de pessoas a resolver questões emocionais. É possível aprender maneiras mais construtivas de lidar com o estresse a que estamos submetidos diariamente e com as particularidades da vida pessoal, profissional ou familiar. Também pode ser um processo de apoio ao passar por um período difícil como o luto, transições de carreira ou um divórcio.

O objetivo da terapia não é resolver esses problemas, mas ajudar as pessoas a encontrar os caminhos para resolvê-los.

Na Clínica Sintropia, oferecemos os seguintes tipos de Psicoterapias:

A Psicoterapia Individual é um espaço terapêutico que facilita a reflexão e possibilita a ampliação da consciência que o indivíduo tem de si mesmo e da forma como se relaciona com o outro, trabalhando no desenvolvimento de suas potencialidades. O objetivo é lidar melhor com situações conflitantes do cotidiano e transformar padrões de comportamento e funcionamento.

A frequência das sessões e o tempo de duração são definidos entre paciente e terapeuta ao longo do processo de tratamento.

A vida a dois não é feita somente de alegrias. As pessoas têm suas individualidades e muitas vezes as personalidades conflitam e a relação se desgasta.

O que a terapia de casal faz é facilitar a comunicação entre os pares - em situação de ruptura ou crise - e ajudá-los a encontrar caminhos consensuais para deixar a relação mais saudável. Atua auxiliando o casal a adquirir uma noção clara dos problemas que afetam o relacionamento, a analisar as hipóteses de reconciliação e, caso existam, a encontrar meios facilitadores para o restabelecimento da relação.

Na consulta de terapia de casal, um profissional competente atende o casal em conjunto, ouvindo as razões de ambos, com o objetivo de criar alternativas, catalisar afetos e facilitar interações.

Algumas situações com indicação de terapia de casal: relação extraconjugal por parte de um dos membros, dificuldades no relacionamento sexual, desinvestimento amoroso de um dos elementos, novo casamento após divórcio, dificuldades crônicas de comunicação, dificuldade em compatibilizar a educação dos filhos, relações tensas com as famílias de origem (sogras, sogros, irmãos), nascimento de uma criança com algum tipo de necessidade especial.

Os relacionamentos familiares são considerados centrais e determinantes para a promoção da saúde mental e da qualidade de vida de um indivíduo. A Terapia Familiar tem como objetivo ajudar os membros de uma família a se organizarem e aprenderem a lidar com situações diversas a partir do adoecimento de um de seus membros.

Grande parte das famílias de pacientes psiquiátricos se desorganiza a partir das crises e do diagnóstico. Os familiares se queixam de não saber a forma certa de agir com a pessoa afetada. Além disso, podem surgir conflitos oriundos da dificuldade para lidar com a situação e das diferenças em opiniões e condutas. Em situações mais graves, o relacionamento no núcleo familiar acaba se rompendo, o que causa muito sofrimento aos envolvidos, sobretudo crianças.

O trabalho de terapia familiar visa ajudar a construir um diálogo aberto e a encontrar soluções para os conflitos, preservando a integridade e individualidade de cada um.

A Psicoterapia Breve tem como objetivo trabalhar as necessidades mais imediatas do indivíduo, ajudando-o a enfrentar adequadamente situações conflituosas e a recuperar sua capacidade de autodesenvolvimento.

Esse processo não visa atender a todas as questões do indivíduo, mas sim trabalhar o conflito que está gerando o atual sofrimento psíquico.

Através da solução do problema focal e dos ganhos terapêuticos derivados disso, o paciente pode obter efeitos positivos e mudar e progredir também em outros aspectos de sua vida, além daqueles que estavam sendo abordados durante o tratamento.

O tempo de duração da terapia é limitado e definido em conjunto entre paciente e psicoterapeuta.

Uma criança não apresenta maturidade suficiente para verbalizar suas angústias. O psicólogo infantil utiliza recursos lúdicos para poder compreender seus desconfortos emocionais. Através do brincar, o psicólogo pode compreender as dificuldades apresentadas e propor um atendimento adequado.

Antes do início do processo, o psicólogo realiza entrevistas iniciais com os pais e reúne informações sobre a história da criança e da família, suas queixas e outras colocações. Vale lembrar que a identificação precoce contribui para prevenir um comprometimento posterior mais severo.

A frequência das sessões e o tempo de duração do tratamento são definidos entre pais e terapeuta ao longo do processo. Encontros periódicos com os pais também devem ser realizados.