Síndrome do Ninho Vazio

JULIA CATTAN – PSICÓLOGA E COACH

Ah… essa mãe que nos acolhe e nos educa para o mundo! Quantas dizem que seus filhos são criados para voar. Será? Talvez sejam criados para enfrentá-lo, mas com a expectativa de que sempre embaixo das suas “asas”.

Em um determinado momento, os filhos crescem e tomam a decisão de começar um novo caminho de independência, afinal isso faz parte da vida!

Ver um filho sair de casa para estudar, morar sozinho, casar ou trabalhar em outra cidade costuma causar sentimentos contraditórios: felicidade, orgulho, sensação de dever cumprido, mas também sentimentos de tristeza e abandono.

Dependendo da fase da vida em que a mãe está e também da sua personalidade, os sentimentos são mais exacerbados.

Chamamos essa fase de síndrome do ninho vazio.

Não é uma doença física e sim uma doença das emoções caracterizada por uma dor simbólica. Podemos dizer que esta dor é a presença viva da ausência, que dura do instante da separação do seu filho até o estabelecimento de uma nova ordem familiar.

Quando essa tristeza se prolonga, pode transformar-se em depressão e, neste período, a ajuda dos filhos é de extrema importância, havendo uma inversão de papéis, com os filhos passando a “consolar” a mãe.

E como superar esta falta, como superar a saudade?

- Procure enxergar nessa situação novas possibilidades: muitas vezes o relacionamento com os filhos melhora quando eles já não estão em casa e agora você pode se dedicar a novos projetos.

- Perceba que agora poderá se dedicar inteiramente ao seu companheiro que muitas vezes ficava de lado e realizar aquelas atividades que você tinha adiado. Essa é uma nova etapa da vida que você deve desfrutar totalmente!

- Converse com as pessoas sobre o que está passando. Pôr para fora os seus sentimentos é o primeiro passo para melhorar.

- Procure começar ou recomeçar atividades que lhe dão prazer e que antes, com as exigências diárias, acabavam sendo adiadas.

- Faça atividade física! Oexercício físico é muito bom para a saúde e ajuda a relaxar. Saia para caminhar todos os dias, observe as coisas ao seu redor, veja a natureza, a beleza das pequenas coisas, você notará como em pouco tempo se sentirá cada vez melhor.

- Não se abandone, busque um cuidado pessoal, hoje você tem tempo para isso. É importante que você volte a adotar o papel de mulher, além do de mãe.

- Se você ficou só, caso não tenha um companheiro, procure ter um animal de estimação que será sua companhia e também vai lhe ajudar a se ocupar por um tempo.

Caso nada disso funcione, se sentir necessidade, procure a ajuda de um especialista.

Não fique com vergonha, pois não há nada demais em se preocupar com o próprio bem estar. Isso significa se cuidar e se preocupar com sua própria saúde. O importante é não deixar se consumir pela tristeza, por mais difícil que pareça.

Posts Relacionados

No Comments Yet.

leave a comment