Terapia Ocupacional na Clínica Sintropia

Exibir Tudo

Terapia Ocupacional na Clínica Sintropia

Fernanda Vieira dos Santos Lima – Terapeuta Ocupacional da Clínica Sintropia

A Terapia Ocupacional (TO), de maneira geral, atua em diversos em campos da saúde, educação e da esfera social, promovendo emancipação e autonomia a pessoas que, por diversas razões, possuem dificuldade em sua inserção e participação social. Também procura construir narrativas alternativas à experiência de sofrimento e da alienação social através de seu instrumento de trabalho: as atividades. Este termo é compreendido como qualquer ação humana que tenha um determinado objetivo.  Aprofundando um pouco mais sobre o conceito de atividades, é importante lembrar que não existem atividades pré-definidas para tratar questões específicas, ou seja, seus significados e funções são construídos ao longo do processo de cada sujeito em terapia ocupacional.

Enquanto o indivíduo faz a atividade junto com o terapeuta, é possível pensar e refletir sobre aspectos de seu funcionamento de vida. Isso é justificado, uma vez que a maneira com que o indivíduo se relaciona dentro do espaço de terapia ocupacional é transposta para o seu cotidiano e vice-versa.

Para isto é necessário que o terapeuta ocupacional esteja atento em captar aspectos não só do comportamento na atividade, mas também do comportamento geral. Aspectos estes que vão desde como o indivíduo manifesta o interesse e engajamento, e os mantém, durante toda a realização da atividade, até questões relacionadas ao quadro psicopatológico.

A doença mental pode trazer prejuízos para a vida do indivíduo, tais como o empobrecimento das relações sociais e o esvaziamento de seu funcionamento. Essas e outras questões podem ser trabalhadas no espaço da T.O. a partir da realização de projetos em conjunto com o terapeuta.

Ademais, a TO possibilita a (re)conexão do indivíduo com o mundo. Dessa maneira, o profissional auxilia a retomar o cuidado em relação a si e ao outro. Ao falarmos desse cuidado, está implícito o cuidado consigo e seu corpo com as relações que estabelece com o mundo.

De maneira geral, o terapeuta ocupacional utiliza de duas modalidades principais de assistência: os atendimentos individuais e os grupos de terapia ocupacional. Os atendimentos individuais são destinados a indivíduos que necessitam de um espaço privado para lidar e elaborar questões pessoais e particulares. É indicado para pacientes que apresentam uma desorganização maior em sua dinâmica de realização de atividades, bem como para aqueles que tem maior dificuldade de adesão ao serviço ou que apresentem uma exacerbação de sintomas que podem dificultar intervenções grupais.

Os atendimentos em grupo oferecem aos indivíduos a possibilidade de exercitarem a experiência de relacionar-se com o outro. Em geral estes atendimentos estão indicados para sujeitos que apresentem restrição ou empobrecimento de rede social.

A duração processo de intervenção em T.O. pode variar dependendo de cada caso. No entanto, quando os elementos observados na avaliação conseguem ser contemplados, e assim permitem que o indivíduo consiga (re)estabelecer um cotidiano mais saudável e repleto de experiências positivas, de forma autônoma, é chegado o momento da alta dos atendimentos em T.O.

Fernanda Vieira dos Santos Lima – Terapeuta Ocupacional da Clínica Sintropia – Saúde Mental

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *